FILOSOFIA_DE_GAVETA

domingo, 15 de março de 2009

O poder do toque.

Se sou bebê,
Por favor, me toque.
Preciso do seu afago de uma maneira
que talvez nunca saiba.
Não se limite a me banhar, trocar minha
fralda e me alimentar,
Mas me embale estreitado, beije meu
rosto e acaricie meu corpo.
Seu carinho gentil, confortador, transmite
segurança e amor.

Se sou sua criança,
Por favor, me toque.
Ainda que eu resista e até o rejeite,
Insista, descubra um jeito de atender
minha necessidade.
Seu abraço de boa noite ajuda a adoçar
meus sonhos.
Seu carinho de dia me diz o que você
sente de verdade.

Se sou adolescente,
Por favor, me toque.
Não pense que eu, por estar quase
crescido,
Já não precise saber que você ainda se
importa.
Necessito de seus braços carinhosos,
preciso de uma voz terna.
Quando a vida fica difícil, a criança em
mim volta a precisar.

Se sou seu amigo,
Por favor, me toque.
Nada como um abraço afetuoso para eu
saber que você se importa.
Um gesto de carinho quando estou
deprimido me garante que sou amado.
E me reafirma que não estou só.
Seu gesto de conforto talvez seja o único
que eu consiga.

Se sou seu parceiro sexual,
Por favor, me toque.
Talvez você pense que sua paixão basta,
Mas só seus braços detêm meus temores.
Preciso de seu toque terno e
confortador,
Para me lembrar de que sou amado
apenas porque eu sou eu.

Se sou filho adulto,
Por favor, me toque.
Embora eu possa até ter minha própria
família
Ainda preciso dos braços de mamãe e
papai quando me machuco.
Como pai, a visão é diferente,
Eu os estimo mais.

Se sou seu pai idoso,
Por favor, me toque.
Do jeito que me tocaram quando era bem
pequeno.
Segure minha mão, sente-se perto de
mim, dê-me forças
E aqueça meu corpo cansado com sua
proximidade.
Minha pele, ainda que muito enrugada,
adora ser afagada.

Não tenha medo,
Apenas me toque.

Phyllis K. Davis. "O Poder do Toque".

2 comentários engavetados

EAD disse...

Muito sensível e pertinente. Parabéns.

Filosofia de gaveta disse...

Obrigada!

Beijos

 
BlogBlogs.Com.Br