FILOSOFIA_DE_GAVETA

quarta-feira, 5 de março de 2008

O vendedor de balões



Era uma vez um velho homem que vendia balões numa quermesse.

Evidentemente, o homem era um bom vendedor, pois deixou um balão vermelho soltar-se e elevar-se nos ares, atraindo, desse modo, uma multidão de jovens compradores de balões.

Havia ali perto um menino negro.

Estava observando o vendedor e é claro apreciando os balões.

Depois de ter soltado o balão vermelho, o homem soltou um azul, depois um amarelo e finalmente um branco.

Todos foram subindo até sumirem de vista.

O menino, de olhar atento, seguia a cada um.

Ficava imaginando mil coisas...

Mas uma coisa o aborrecia, o homem não soltava o balão preto.

Então aproximou-se do vendedor e lhe perguntou:

- Moço, se o senhor soltasse o balão preto,
ele subiria tanto quanto os outros ?

O vendedor de balões sorriu compreensivamente para o menino, arrebentou a linha que prendia o balão preto e enquanto ele se elevava nos ares disse:

- Não é a cor, filho,
É o que está dentro dele que o faz subir.

1 comentario engavetado

Sandra Paula disse...

Jo querida,linda mensagem essa que vc nos trouxe.Muito verdadeira,as vezes alguém é tão belo em sua matéria ,mas dentro é assustador.Bjão querida

 
BlogBlogs.Com.Br